Esperança

O Teu silêncio, Pai, me desespera. Talvez o Teu sussurro só esteja perdido no meio desse alarde assombroso. Mas me encontre, e fale um pouquinho mais alto, se preciso for. Permita-me Te ouvir, nem que seja num tom de repreensão. Nem que seja para me lembrar do dia em que deixei de confiar em Ti. Nem que seja para me mostrar o engano do meu coração. Nem que seja para me falar da Tua bondade incomparável e temível diante dos meus erros intermináveis. Nem que seja para me convencer de que o Teu amor nunca falha, ainda que a minha razão o faça frequentemente. E os meus sentimentos também. Nem que seja a última vez. Dá-me o prazer das Tuas palavras e recolha-me num sono profundo, se for este o Teu desejo. Mas não me deixe sozinha agora.