fevereiro 18, 2015

Primeira

Eu espero que tu, destinatário, não te apresses em tomar ciência do conteúdo desta.
É que embora já tenhas sido alvo de muitos devaneios e de palavras em tempo real, não me lembro de já haver-te dedicado caracteres aqui. Não que não tenhas merecido antes: pelo contrário, eu não considerei minhas palavras suficientemente belas para falar sobre ti. Mas agora sou inteira explosão. Sabes que estou sentimentalmente inclinada, nos últimos dias. Teus olhos nos meus suscitou-me outras emoções.
Temo que minha reação enlouquecida te assuste. Desde as mãos trêmulas até às palavras impensadas. Se eu fosse tu, correria. Mas ainda sou egoísta o bastante para desejar que fiques e me perdoe a confusão.