Momentânea Crise

Eis a garota complicada voltando aos estranhos hábitos de falar sozinha, como se houvesse tempo disponível para algo assim. Não há momento mais propício para iniciar um diário, creio.
Não vou me apegar ao compromisso de escrever todos os dias, me impor uma nova tarefa. Estou farta de compromissos, eles quase me levaram à loucura esses dias.
Não preste atenção na estrutura desse texto. Minha criatividade está completamente bloqueada, e eu odeio cada um dos vocábulos empregados aqui. É terrível não conseguir ordenar as palavras de forma agradável em uma dissertação, de modo que não pareçam apenas palavras soltas ou orações avulsas. Também é muito incômodo ser tão incapaz de ordenar passos harmoniosos em uma dança, ou linhas e curvas em um desenho.
Encontrar-se falida aos dezesseis anos de idade deve ser a maior frustração existente. É quando todas as inteligências estão em falta. Não há beleza, não há harmonia, não há lógica, não há prazer algum em coisa alguma. Tudo é ruim, a escuridão é assustadora.
Lamentável, a incerteza de tudo. Esta é a amarga angústia de um espírito jovem e inoperante, desprovido de emoções que inspiram a produção de algo útil ou agradável, para si ou para outros... Dolorosa e momentânea crise de uma garota, aos dezesseis. Não se preocupe.