junho 12, 2016

22:54 p.m. 6ºC

Chego em casa e removo a maquiagem como se estivesse removendo uma máscara. As lágrimas, em uma tentativa inútil de ajudar a lavar os olhos, rolam pelo rosto, e o sorriso de outrora se vai junto com o batom. É domingo.
Sinto-me exausta. Não estou pronta para a semana que virá. Tenho vergonha da futilidade da causa do meu choro, e ainda choro. Não é um pranto respeitável, mas é um que eu não posso evitar. O olhar de compreensão e afeto que eu desejo, só encontro em teus olhos. Pode olhar pra mim?